Home / Curiosidades / A Vida das Abelhas em Sociedade

A Vida das Abelhas em Sociedade

As abelhas são insetos famosos por sua função polinizadora. Atualmente, existem cerca de 20 mil espécies distribuídas em sete famílias biológicas. Elas podem ser encontradas em todos os continentes, com exceção da Antártica, e em todos os hábitats do planeta que contêm plantas de floração polinizada por insetos.

Quando em sociedade, as abelhas se dividem em castas. A rainha, os zangões e as operárias compõem a população da colmeia. As funções de cada indivíduo são bem definidas e executadas a fim de garantir a sobrevivência do grupo.

É comum que, em cada colônia, haja de cinco a dez mil operárias e até 400 zangões. Como em todo reinado, há apenas uma abelha-rainha.

Vida das Abelhas
Vida das Abelhas

Hoje vamos descobrir um pouco mais sobre a vida das abelhas em sociedades e sobre como elas se organizam. Preparado? Então vem com a gente!

Abelha-rainha

Como dito anteriormente, a abelha-rainha é soberana. Quando uma abelha nasce, ela pode ser estéril ou fértil. Se ela for estéril, será operária; mas se for fértil, será rainha. Há apenas uma rainha em cada colmeia. Quando surgem duas rainhas, elas brigam entre si até que apenas uma sobreviva e ocupe o posto.

Uma rainha adulta chega a ser duas vezes maior que uma operária. Ela é criada em um alvéolo diferenciado, de formato cilíndrico, que recebe o nome de realeira. A rainha alimenta-se da chamada “geleia real”, produzida por glândulas presentes na cabeça das operárias e rica em proteínas, vitaminas e hormônios capazes de potencializar sua fertilidade.

Abelha-rainha
Abelha-rainha

Com um aparelho reprodutor bem desenvolvido, a função da rainha é basicamente botar ovos e garantir a ordem social dentro da colmeia. Sua vida reprodutiva tem início uma semana após o nascimento. Ela então realiza seu primeiro voo nupcial em busca de zangões para fecundá-la.

Como há de centenas à milhares de zangões à espera de uma rainha, a variedade genética no acasalamento é bem elevada. Porém, ela será fecundada por 12 a 15 zangões. Após o acasalamento, a rainha armazena o esperma do macho em seu abdômen e o libera aos poucos durante os anos.

Dessa forma, enquanto a abelha-rainha responsabiliza-se pela reprodução e pela manutenção da ordem social dentro de sua colmeia, as operárias ficam a cargo de determinadas funções que variam de acordo com o seu desenvolvimento.

Operárias

As abelhas operárias são as que realizam todo o trabalho para a manutenção prática da colmeia. As atividades executadas dependem da idade, do desenvolvimento das glândulas e da necessidade da colônia.

As operárias não inférteis, pois, enquanto estão na fase de larva, elas se alimentam de forma menos nutritiva e em menor quantidade que a rainha. Além disso, os feromônios produzidos pela rainha inibem e retardam o desenvolvimento do sistema reprodutor das operárias quando elas atingem a fase adulta. Porém, em contrapartida, as operárias são dotadas de órgãos de defesa e trabalho muito bem desenvolvidos e que, na maioria das vezes, encontram-se ausentes na rainha e nos zangões.

Do primeiro ao quinto dia de vida, as operárias são responsáveis pela limpeza dos alvéolos e das abelhas recém-nascidas. Aquelas com idade de cinco a 10 dias são chamadas de abelhas nutrizes, pois cuidam da alimentação das larvas que estão em desenvolvimento. Nesse estágio, as operárias apresentam as glândulas hipofaringeanas e madibulares bem desenvolvidas, que é onde a geleia real será produzida.

Abelha Operária
Abelha Operária

A partir do 11º dia, as operárias encontram-se aptas para produzir a cera utilizada na construção dos favos, pois é nessa fase que as glândulas cerífaras apresentam grande desenvolvimento. Além disso, elas recebem e desidratam o néctar trazido pelas outras operárias e elaboram o mel.

Do 18º ao 21º dia de vida, as abelhas operárias já conseguem realizar a defesa da colmeia. Nessa fase, os órgãos de defesa estão amadurecidos e o veneno acumulado. Nessa idade, elas também podem participar do controle de temperatura da colmeia por meio de seus músculos torácicos.

É somente a partir do 22º dia que as operárias saem para coletar néctar, pólen, resinas e água. É nessa fase que elas recebem também o nome de campeiras, pois já estão aptas para realizar as atividades de campo.

Zangão

Quando o ovo não é fecundado, origina-se o zangão. Eles são os machos da colônia e têm como única função fecundar a rainha durante o voo nupcial.

Os alvéolos onde as larvas dos zangões são criadas têm tamanho maior que os alvéolos das operárias. Eles demoram aproximadamente 24 dias para desenvolverem completamente.

Apesar de serem maiores e mais fortes do que as operárias, os zangões não possuem órgãos de trabalho ou de defesa, como o ferrão. Na verdade, em determinados períodos, são as operárias que fornecem alimentos para eles.

Zangão
Zangão

Porém, os zangões possuem olhos mais desenvolvidos, além de antenas com capacidade olfativa superior. As asas e a musculatura de voo são maiores, características que possibilitam maior orientação, percepção de espaço e agilidade para localizar rainhas virgens durante o voo nupcial.

O olfato apurado permite que os zangões sintam o feromônio liberado pela abelha-rainha a uma distância de até cinco quilômetros. Para azar do zangão, seu órgão genital fica preso ao corpo da rainha após o acasalamento e acaba rompendo-se, o que leva a sua morte.

Curiosidades

  • Uma abelha é capaz de visitar cerca de dez flores a cada minuto para recolher pólen e néctar;
  • Em média, são realizados 40 voos diariamente;
  • Cada abelha costuma produzir cinco gramas de mel anualmente;
  • Para produzir um quilo de mel, é necessário que as abelhas passem por cinco milhões de flores;
  • As abelhas têm cinco olhos: três em cima da cabeça e dois compostos grandes na frente;
  • Durante períodos muito frios e de escassez de alimentos, as abelhas operárias fecham as entradas da colmeia e impedem que os machos entrem. Dessa forma, eles são deixados do lado de fora e morrem de frio e fome.
  • A abelha-rainha põe de 2000 a 3000 ovos por dia.
  • Quando o número de zangões dentro da colmeia é muito elevado, as operárias os matam para economizar comida.
  • O tempo de vida de uma abelha operária é de, aproximadamente, 45 dias. Passado esse tempo, ela abandona a colmeia para morrer longe das outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *